Home
Financiamento estudantil ajuda a evitar evasão no ensino superior

Financiamento estudantil ajuda a evitar evasão no ensino superior

Publicado em: 20/09/2022 - Por: DINO

Ferramenta pode ser acionada por universitários por meio de programas governamentais como o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), bem como por instituições privadas, como o Pravaler

A questão da evasão de estudantes no ensino fundamental, médio ou superior, é algo que tem sido evidenciado por pesquisas e estudos sobre a educação no país. No que tange às universidades, um levantamento divulgado em maio pela consultoria IDados indicou que a evasão daqueles sem financiamento no setor privado é mais alta que a observada no setor público. 

Além disso, segundo o Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) de 2019, um contingente de 13,8 milhões de jovens com ensino médio completo não deram continuidade aos estudos - a necessidade de trabalhar foi apontada como a principal razão para isso. Neste mesmo sentido, outros 17,5% disseram não ter recursos para bancar os estudos.

Diante deste panorama, o financiamento estudantil para cursos privados no ensino superior tem se configurado como importante mecanismo para que estudantes consigam arcar com os gastos necessários e assim concluam os estudos, garantindo o almejado diploma. 

Para Beto Dantas, COO da edfintech Pravaler, empresa especializada em financiamento estudantil há mais de 20 anos,este recurso ajuda a mensalidade a caber no bolso dos estudantes, diminuindo os riscos de evasão e possibilitando que façam de fato a faculdade que querem, não a que conseguem pagar. Desta maneira, prossegue o executivo, mais pessoas se capacitam e transformam suas vidas, ingressando no mercado de trabalho ao darem continuidade aos estudos.

A probabilidade de adentrar o mercado de trabalho, afinal, é muito maior para quem possui curso superior e isso pode ser demonstrado por diversos estudos. Um deles, realizado pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) em 2018, apontou que os brasileiros graduados de 25 a 34 anos que conseguiram emprego representaram uma taxa de 11 pontos percentuais mais alta do que seus pares com escolaridade de nível médio - com um salário 144% maior. 

Os meios para se obter um financiamento estudantil

Mas quais são os caminhos para os estudantes possam fazer uso de financiamento para custear um curso de graduação

Um dos caminhos é o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil), programa do governo federal cuja aderência se dá a partir de uma série de requisitos, como a obtenção de uma boa nota no Enem e a inserção em um perfil socioeconômico cujo renda familiar mensal seja de até três salários mínimos por pessoa. Ademais, a adesão ainda envolve um processo seletivo para a seleção dos candidatos e possui limite de vagas. Neste tipo de financiamento, o estudante começa a pagar os custos contratados após a conclusão do curso. 

Uma alternativa ao financiamento público é o financiamento estudantil privado, oriundo de instituições financeiras com regras mais flexíveis, que podem ser bancos e edfintechs. As diferentes entidades de crédito universitário possuem suas particularidades na oferta do serviço. Há organizações que contam com modalidades de crédito sem juros, não exigem nota do Enem, oferecem o serviço independente da renda familiar, não possuem um limite de vagas, entre outras características. 

Neste caso, o contrato do crédito é feito diretamente com bancos e empresas que são instituições financeiras. Este tipo de crédito estudantil é concedido tanto para quem ainda vai começar a faculdade quanto para quem está na fase de rematrícula.

Para os cursos de graduação, é permitido financiar apenas um semestre de cada vez, mas o aluno pode recontratar a cada novo semestre, até financiar o curso integralmente, explica Beto Dantas, ressaltando que a aprovação do financiamento exige que o aluno e seu fiador não podem ter restrições no CPF.

Para saber mais, basta acessar: https://www.pravaler.com.br/



Website: https://www.pravaler.com.br/

Este é um conteúdo divulgado pela empresa DINO - Divulgador de Notícias e não é de responsabilidade do Aprimoramente.

Gostou do artigo?

Compartilhe com quem você acha que se interessa por este assunto.

Quer se inspirar para aprender algo novo?

Veja nosso guia de cursos, eventos, professores, plataformas e instituições de ensino.

Ver o guia

Quer ver os artigos sobre educação do Aprimoramente?

Leia todos os artigos do Aprimoramente e autores convidados sobre educação e aprendizado.

Ler os artigos

Artigos Aprimoramente

Carregando...